Seguidores

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

SIMONE DE OLIVEIRA

BIOGRAFIAS
SIMONE DE OLIVEIRA

As personalidades artísticas não são muito frequentes. Artistas sim, mas personalidades... é outra coisa.Personalidade nunca faltou a Simone de Oliveira. Um temperamento marcado, inequivocamente, pelo excesso: excesso de talento, de vontade, de querer. Excesso de expressão e de paixão. Dela poderá dizer-se o que de muito poucos se disse: É uma daquelas pessoas maiores do que a vida.Iniciando bastante nova uma carreira de cantora, fatalmente marcada pelo Centro de Formação dos Artistas da Rádio de Motta Pereira, Simone vai revelar, ainda rapariga, uma intesidade interpretativa que imediatamente a distinguiu das restantes vozes femininas da época.O seu repertório de cançonetista não fugirá, nesses primeiros anos de carreira, aos estereótipos criativos dos compositores consagrados da época. Desses tempos iniciais guardam-se vivas memórias de prémios e consagrações sucessivos, e de uma mediática rivalidade (tão real quanto encenada) com Madalena Iglésias.Mas Simone, a inquieta Simone, quererá sempre mais da sua arte. Por sua iniciativa (e pela iniciativa dos que nela viram a intérprete de excepção) vai procurar cada vez melhores compositores e letristas.Aproximou-se, assim, dos grandes nomes que despontavam, numa clara linha de oposição ao Regime. Com Desfolhada, de Ary dos Santos e Nazareth Fernandes, Simone fará história: história da música popular urbana, é claro. Mas, também, a história das mentalidades.Como nos arquétipos clássicos, o excesso conduziu à tragédia. Simone fica sem voz. Mas, como a Fénix, renascerá com uma voz nova, mais profunda. Com ela vai partir à conquista de públicos renovados e ganhará desafios só ao alcance dos eleitos.
Marcos principais da carreira:
1957 - Entra no Centro de Preparação de Artistas da Rádio.
1958 - Primeiros espectáculos. Participa no I Festival da Canção Portuguesa, em Lisboa. Vencerá esta competição nos dois anos seguintes.
1962 - Estreia no teatro de revista. Vence o Festival da Canção da Figueira da Foz.
1965 - Vence o Grande Prémio RTP da Canção Portuguesa (o "Festival da Canção"), com Sol de Inverno. É eleita Rainha da Rádio.
1969 - Volta a vencer o Festival da Canção com a canção mais marcante da sua carreira: Desfolhada, de José Carlos Ary dos Santos e Nuno Nazareth Fernandes. O tema ficará no imaginário colectivo.
1970 - Perde a voz, incidente que se prolongará por cerca de dois anos e virá a marcar profundamente a artista.
1977 - Já retomada a sua carreira, participa no espectáculo doJubileu de Isabel II de Inglaterra.
1984 - Comemora as bodas de prata da sua carreira com um programa televisivo: Meu Nome é Simone.
1988 - Piano Bar, na RTP.
1997 - Celebra na Aula Magna os seus 40 anos de carreira.

Sem comentários:

importante saber em caso de assalto

SENHA DO CARTÃO DE CRÉDITO INVERTIDA
Se fôr alguma vez, forçado por um ladrão a retirar dinheiro da caixade multibanco, pode avisar a polícia imediatamente, digitando a suasenha ao contrário.Por exemplo, se a sua senha fôr 1234, então digite 4321.A máquina reconhece que a sua senha está invertida, de acordo com ocartão que acabou de inserir.A máquina, de qualquer maneira, dar-lhe-á o dinheiro mas, paradesconhecimento do ladrão, a polícia será imediatamenteaccionada/enviada para o/a ajudar.Esta informação esteve recentemente no ar na TV (a par com outrasinovações tecnológicas recentemente instituídas pelo sistema bancárioportuguês) e declara que isso é raramente usado, porque as pessoas nãosabem da existência deste mecanismo de defesa.Por favor, passem isso a todos os vossos contactos.É uma informação extremamente útil e necessária.

Loading...
Ocorreu um erro neste dispositivo

Os meus filmes

  • A Caixa
  • A Vida é Bela
  • Africa Minha
  • Carandiru
  • Casablanca
  • Central do Brasil
  • Feios,Porcos e Maus
  • Gomorra
  • Kramer contra Kramer
  • Munique
  • O Escafandro e a Borboleta
  • O Fantasma
  • O Leopardo
  • O Navio
  • O Pianista
  • O Quarto do Filho
  • Satyricon
  • Suspiria
  • Yentl
  • Yossi & Jagger