Seguidores

sábado, 20 de dezembro de 2008

A idade é um Posto



Não sei se já passaram pelo que eu passei. Devido a alguma dificuldade que tenho em ser arrumado (mas estou cada vez melhor!) ando normalmente com uma mini-mochila, onde guardo a carteira, livros, canetas, lápis, recibos do multibanco (muitos!), um desodorizante, moedas (maioritariamente de 5, 2 e 1 cêntimo) e mais algumas espécies de inutilidades...
Pois vou eu a um supermercado Lidl, que existe mesmo ao lado do meu mini-castelo, no intuito de abastecer este cantinho agradável na Penha de França plantado. Pão, leite, fruta, muita fruta, tomates, alfaces...mais...deixa-me ver no saco...manteiga, café, líquido limpa-chãos, detergente para a loiça, comida para a Banana (a minha gata), areias (são uns biscoitos secos meio achatados)... acho que é tudo... Não! Calma! Falta o fundamental! Bon Bons Garoto, Serenatas de amor, de preferência.
Enchi o cesto de plástico, imundo, e dirigi-me à caixa para pagar. À minha frente tinha três senhoras idosas, a que carinhosamente me vou referir por velhotas. As senhoras velhotas estavam no seu lugar, à espera de pagar, sempre em amena cavaqueira, sobre dores, o aumento dos preços, o casal jovem que põe música a altos berros e não as deixa dormir, o Sócrates, a juventude de hoje que está perdida... Verdadeiras enciclopédias de ignorância. Mas tenho um carinho enorme por estas senhoras... O tempo passa por elas há muito mais tempo do que por mim, e só por isso as respeito. As marcas desse tempo são visíveis, mas parece que nada as pára. Escondem a solidão de um lar meio desfeito, mantendo uma vitalidade invejável.
Chega finalmente a minha vez de pagar. Peço três sacos de plástico (pagos) e entrego o meu cartão multibanco para pagar. É exactamente no momento em que estou a guardar o meu cartão multibanco que sou questionado pela menina da caixa. Num tom doce pede-me: "Importa-se de abrir a sua mini-mochila?" Eu perguntei porquê, ao que me respondeu, atrapalhada, que eram as regras.
"Quais regras?"
"As do Lidl."
Então é assim. Achavam que eu podia ter algo dentro da minha mini-mochila. Nem uma migalha lá cabia dentro, e por isso deve ter pensado a menina que lá tinha escondido um frango para assar, 30 embalagens de detergente para a roupa, chocolates e batatas.
"Não", respondi. "Porque não pediu às senhoras que acabaram de passar à minha frente", que tinham carteiras que facilmente envergonhavam a minha mini-mochila, se o tamanho interessasse.
Resposta.
"São as regras".
"Está a desconfiar de mim?"
"Não..."
"Então porque quer ver a minha mini-mochila?"
(silêncio profundo)
Pedi para chamar o gerente. Lá veio o rapaz, que por acaso já me conhece, e explicou-me que eram regras. Eu falei-lhe em direitos. Expliquei-lhe que só a policia me podia pedir para abrir a mochila, que se quisessem que a chamassem. Ele disse que eu estava no meu direito, pediu-me desculpa. Sabia que eu não teria nada, mas que as meninas (ou meninos) da caixa tinham essas instruções.
"Está a desconfiar de mim?"
"Não..."
"Mas se me pedem para abrir a minha mini-mochila é porque..."
(silêncio profundo e continuei)
"...é porque acham que posso ter 30 pacotes de leite de soja lá dentro".
(silêncio profundo, e nesta altura já tinha o supermercado inteiro a olhar para mim)
"é porque desconfiam de mim, certo?"
"Não... mas sim".
Pediu-me desculpa, eu sugeri que chamassem a polícia, ele disse que não era preciso. Coitado do rapaz, está a cumprir ordens, que alguma besta lhe dá.
"Não podem desconfiar assim das pessoas, sem motivo, só pelo aspecto, ou pelo tamanho (aqui afinal já interessa) das mochilas. Que ponham alarmes, assim já não se parte de um princípio muito pouco digno para qualquer cidadão, que é a presunção de que é ladrão..."
(silêncio mais que profundo)
"Porque é que não põem alarmes?"
"Já sugerimos à administração, dizem que é caro"!!!!!!!!!!
" E porque não pediram às senhoras que iam à minha frente, que traziam malas tipo camião-tir, para ver se tinham alguma coisa?"
"Porque são mulheres."
(silêncio sepulcral)
"Como?"
"Às mulheres não pedimos."
Meus amigos, agora já sabem. Dei-vos uma pista fundamental para gastarem ZERO em compras de supermercado. Peçam a todos os seres do sexo feminino que conheçam e levem-nos ao Lidl, que para elas é de borla...
Há coisas fantásticas, não há?

Posted by costinha13
in
http://www.opequenoclaus.blogspot.com/ o Blogue do jovem actor Miguel Costa (actor da serie Liberdade 21 da RTP-1)

Sem comentários:

importante saber em caso de assalto

SENHA DO CARTÃO DE CRÉDITO INVERTIDA
Se fôr alguma vez, forçado por um ladrão a retirar dinheiro da caixade multibanco, pode avisar a polícia imediatamente, digitando a suasenha ao contrário.Por exemplo, se a sua senha fôr 1234, então digite 4321.A máquina reconhece que a sua senha está invertida, de acordo com ocartão que acabou de inserir.A máquina, de qualquer maneira, dar-lhe-á o dinheiro mas, paradesconhecimento do ladrão, a polícia será imediatamenteaccionada/enviada para o/a ajudar.Esta informação esteve recentemente no ar na TV (a par com outrasinovações tecnológicas recentemente instituídas pelo sistema bancárioportuguês) e declara que isso é raramente usado, porque as pessoas nãosabem da existência deste mecanismo de defesa.Por favor, passem isso a todos os vossos contactos.É uma informação extremamente útil e necessária.

Loading...
Ocorreu um erro neste dispositivo

Os meus filmes

  • A Caixa
  • A Vida é Bela
  • Africa Minha
  • Carandiru
  • Casablanca
  • Central do Brasil
  • Feios,Porcos e Maus
  • Gomorra
  • Kramer contra Kramer
  • Munique
  • O Escafandro e a Borboleta
  • O Fantasma
  • O Leopardo
  • O Navio
  • O Pianista
  • O Quarto do Filho
  • Satyricon
  • Suspiria
  • Yentl
  • Yossi & Jagger